Caso JBS – A armação fica evidente, Joesley mentiu e a delação será anulada

Compartilhe -
“A regra só vale se todo mundo seguir a regra”

Se Janot e Fachin usam do cargo pra fazer política contra Temer, e em defesa de Lula, pra gerar ambiente de “diretas já” e não há punição pra isso, fica instalado um clima de Vale Tudo. Temer fez bem em pedir suspeição de Janot, pois Janot conspirou com Joesley, pra livrar Lula.

Essa semana a Policia Federal disse que a delação de Joesley contra Lula é infrutífera, não leva a lugar nenhum. Joesley disse que tinha uma conta no exterior para que Lula e Dilma movimentassem, contudo a PF pediu documentos sobre a conta e Joesley não deu nenhum. Logo, o que se queria era derrubar o governo e depois ao investigar Lula, diriam que faltava provas e o inocentariam. Incluir Lula na delação foi apenas uma cortina de fumaça pra justificar a delação.

 

Nesse jogo, a justiça é o que menos importa, usa-se as regras da justiça, pra fazer política.
Nesse jogo, Janot, o mentiroso da PGR mentiu denovo, já planejando derrubar a Raquel Dodge, assim que ela ocupar o cargo.Gilmar Mendes quer contestar a delação de Joesley (de pai pra filho) feita por Janot, e pra isso tem dado declarações defendendo a anulação dessas  delações, coisa que será feita pela Raquel Dodge, assim que tomar posse na PGR. Janot (e a Globo) já sabendo disso, começou armar um cenário, fazendo declarações estratégicas, para acusar Raquel Dodge de favorecer Temer.

Em último caso ou último recurso, caso Joesley seja obrigado a fazer uma nova delação que inclua Lula, o jeito será matar Joesley pra “tentar” salvar Lula.