Distritão – Melhor ou pior?

Compartilhe -

Hoje no Brasil os partidos usam os candidatos pra eleger alguns que são os “donos” dos partidos.

  • Como fazem:

O titular do partido, ou aquele que está eleito organiza as eleições e monta um “grupinho” que vai fazer a chapa.
Na chapa de vereador aqui em BH tem 60 candidatos, onde NENHUM deles deve potencialmente ter mais votos que o “titular”.

Logo, se você tiver chance de ganhar e deixar o titular de fora, eles não vão querer você no partido e se tiverem NÃO IRÃO te ajudar com NENHUM centavo.

O “titular”, presidente do partido vai escolher 60 candidatos que tem MENOS votos que ele, mas que atinja o coeficiente eleitoral (votos totais no partido) suficientes para eleger o “titular”.

Exemplo: O coeficiente eleitoral pra eleger um vereador (em BH) é em média 30 mil votos.
Isso quer dizer que os votos de todos os candidatos juntos devem somar no mínimo 30 mil votos pra eleger 1 vereador.

A “comissao” que vai montar a chapa precisará de 59 candidatos com 400 votos e 1 candidato com 6400 votos, que dará o total de 30 mil votos. Os 59 candidatos não irão ganhar, e foram escolhidos APENAS pra gerar os 30 mil votos pra eleger o “titular” com 6400 votos.

É usando esse esquema que os MESMOS dominam os partidos por DÉCADAS e ainda, mantém as pessoas LONGE dos partidos pra que não participem e que o “titular” sempre use esse esquema. Por isso não te chamam pra reunião partidária, chamam apenas em época de campanha pra conseguir os candidatos de 400 votos.

Com o “distritão” o titular ou presidente do partido não poderá mais usar essa estratégia, se não tiver votos, vai perder a eleição.

Alem disso, figuras como Jean Willis, que ganhou com 10 mil votos, puxado por um pastor que teve 300 mil votos, não conseguirá mais se eleger.

Se queremos renovar o congresso? O distritão fará isso.

Embora o voto DISTRITAL seja melhor que o distritão, pois reduz o custo de campanha e faz com que o candidato sea eleito apenas em sua “micro-região”, implantar voto distrital é MUITO mais complexo pois exige infinitas discussões sobre a divisão dos distritos,  no Brasil temos MILHARES deles e já estamos a 1 ano das eleições de 2018, não daria tempo.

Tanto com o distritão como o Distrital, teremos políticos eleitos com maior representatividade e não meros idiotas puxados pela popularidade de outros. O efeito tiririca, acabou.

Em 2018, veremos o resultado, e então poderemos avaliar se foi bom ou ruim para a população. No momento,  acho melhor o distritão do que deixar como está e em 2022, com mais tempo teremos o DISTRITAL.

  • Tacita Vilela Reis

    Gostei